Para os representantes dos Pais: Organizar a lista de contactos da turma

rede-contactos-742x285
Um dos grandes problemas na transmissão de informações dentro das próprias turmas é o facto dos pais eleitos Representantes de Turma, por vezes, não terem forma de recolher os contactos dos outros pais, dificultando desta forma a comunicação entre todos.
Para ajudar a agilizar esse processo a APEE disponibiliza esta ficha de contactos que pode ser impressa e levada para a primeira reunião do ano com o/a Diretor/a de Turma. Mesmo quem não queira ser representante este ano letivo, poderá imprimi-la e a levá-la para que quem for eleito a possa usar.
Depois, pedimos para nos enviarem o contacto de quem ficou Representante de Pais na respetiva turma, para podermos ter uma base de dados para este ano letivo atualizada e dessa forma partilhar com todos as informações relevantes sobre a escola ao longo do ano letivo.
Anúncios

Convocatória – Assembleia Geral de Pais – 20 de Setembro

Caros Pais e encarregados de Educação,

Ao abrigo do artigo 16º dos estatutos desta APEE convocam-se todos os Pais e Encarregados de Educação para a Assembleia Geral de Pais a realizar no dia 20 de setembro de 2016, terça-feira, pelas 18h45, na sala 4 da EB23 Luís de Camões, com a seguinte ordem de trabalhos:

1º Eleição do Representante de Pais ao Conselho Geral

2º Outros assuntos de interesse Geral

Se à hora marcada não estiverem presentes mais de metade dos associados, a Assembleia reunirá 30 minutos depois com qualquer número de associados presente. 

Melhores cumprimentos,

A Presidente da Mesa da Assembleia Geral da APEE da EB23 Luís de Camões Cecília Costa

convocatoria

COMUNICADO AOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO

BANNER-OBRAS-EB23

A EB23 VAI TER GINÁSIO E MUITO MAIS

A nossa luta por um transporte para os nossos alunos parece estar a chegar ao fim. Graças ao apoio de todos os pais e encarregados de educação que ao longo deste ano letivo estiveram ao nosso lado conseguimos ir mais longe. 

Depois de a APEE apresentar a petição, de reunir com a 7ª Comissão da Educação da Câmara Municipal de Lisboa, das diversas intervenções na Assembleia Municipal de Lisboa, reuniões e inúmeros mails, das várias reportagens e notícias nos meios de comunicação social, o Ministério da Educação e a CML fizeram um levantamento das reais condições da escola e decidiram realizar uma intervenção profunda no exterior da EB23. 

Fomos informados que em setembro, irá começar uma obra de reabilitação que se prevê durar todo o primeiro período mas que irá dotá-la de equipamentos que até agora não estavam ao alcance dos nossos alunos, e que irão sem dúvida melhorar a qualidade do serviço educativo:

– Um Pequeno Ginásio com balneários (frente)
– Reabilitação dos Campo de Jogos exteriores (frente)
– Um auditório com capacidade 61 pessoas e dois gabinetes (reformulando toda a zona do Corredor da Biblioteca)
– Uma Sala de Convívio com bar de alunos com acesso pelo refeitório (onde até agora funcionou a sala de EV).
– Uma papelaria maior (que passará a funcionar no antigo bar dos alunos)

As aulas de EV podem ser afetadas – Salas aula provisórias (2) serão demolidas e construídas nas traseiras (em que uma será oficina)

Com esta intervenção passará a ser possível realizar todo um número de atividades que até ao momento estavam vedadas aos alunos da nossa escola, por isso, não podíamos estar mais contentes com esta notícia.

Esperamos que as obras comecem no início de setembro e não se prolonguem para lá do previsto para que não cause muito transtorno aos alunos.

Finalmente vão-se acabar as longas caminhadas ao sol e à chuva com o peso dos livros às costas. Os alunos da EB23 Luís de Camões vão ter direito a mais condições dentro do espaço escolar. Vão ter uma escola melhor. Valeu a pena!

Pais podem pedir devolução do valor da matrícula pago indevidamente

matriculas-devolução
A Associação de Pais considerou que a cobrança de matrícula na nossa escola punha em causa o ensino obrigatório universal e gratuito, já que a lei é clara e diz que o mesmo “se traduz na inexistência de propinas e na isenção total de taxas e emolumentos relacionados com a matrícula, inscrição, frequência escolar e certificação, dispondo ainda os alunos de apoios no âmbito da ação social escolar, caso sejam cumpridos os prazos determinados.”
Alertámos a tutela para o facto de serem cobrados 10 € para alunos internos do agrupamento do 6º aos 9º ano, 5€ para alunos que se matriculassem no 5º ano ou que pedissem transferência, bem como 8€ de emissão de cartão escolar, tendo ainda sido cobrada uma taxa de 2,5 euros para a simples confirmação de dados dos alunos de 1º ciclo.
Apesar de não termos recebido ainda resposta oficial, a Direção da Escola já publicou no site do Agrupamento um esclarecimento dizendo que por lapso não tinha informado os pais que o pagamento destes valores era voluntário e que “agradecem a todos os pais e EE que, o entenderem, requeiram a devolução dos valores entregues – mediante nosso recibo – dirigindo-se aos serviços administrativos, a fim de serem reembolsados.”
Assim sendo, basta dirigirem-se à secretaria da escola com o recibo entregue na altura, bem como o respetivo NIB e NIF, de modo a procederem à regularização da situação por transferência bancária.
Estamos certos que para o ano este “lapso” já não se verificará e que os pais serão devidamente avisados que a contribuição monetária é facultativa e não obrigatória respeitando assim a universalidade e gratuitidade do ensino obrigatório.
A Direção da APEE da EB23 Luís

Balanço de atividade – 1 ano de Associação de Pais

TRANSFORMAR A ESCOLA – Ouvir pais e encarregados de educação

BALANÇO

Agora que o ano letivo acabou chegou a hora de prestar contas. Aqui fica o nosso balanço, sem dúvida positivo, de um ano desafiante.

Balanço de atividades | A APEE mês a mÊs

outubro de 2015
Um grupo de mães e pais decidiu reativar A APEE da EB23 Luís de Camões de forma a restabelecer contacto entre pais e encarregados de educação e a voltar a ter uma voz ativa dentro do agrupamento, promovendo ações de interesse para a comunidade educativa.
Criação da página de facebook online, bem como site e endereço de email.

novembro 2015
Realizou-se a primeira reunião geral de pais e encarregados de educação e constituiu-se oficialmente a Associação de Pais e Encarregados de Educação da EB23 Luís de Camões.
Juntou-se todos os contactos dos representantes de pais de cada ano de forma a facilitar a comunicação entre todos.

dezembro 2016
Realizou-se um inquérito com a opinião de pais e encarregados de educação sobre o funcionamento geral do agrupamento e propostas de atividades que gostariam de ver desenvolvidas.
Foram realizadas diversas parcerias entre entidades de interesse geral (salas de apoio ao estudo, música, ópticas etc) para beneficiar os sócios da APEE
Fomos a uma sessão da Assembleia Municipal de Lisboa expor o problema da falta de transporte dos alunos da nossa escola entre escola e Pavilhão Desportivo do Casal Vistoso.

janeiro 2016
Realizou-se a segunda Assembleia Geral de Pais e Encarregados de Educação.
Foi lançada a Petição online e em papel “Por um autocarro que transporte os alunos entre a EB23 e o Pavilhão do Casal Vistoso” e conseguiu-se reunir perto de 300 assinaturas.

fevereiro 2016
Foi entregue a Petição na Assembleia Municipal de Lisboa
Questionámos empresa Gertal sobre qualidade da comida servida na cantina e número reduzido de pessoas a auxiliar no serviço

março 2016
Na sequência da entrega da Petição, foi realizada uma reunião com a 7º Comissão da Educação com vista à resolução do problema da falta de transporte dos alunos

abril 2016
Em conjunto com o Serviço de Psicologia e Orientação da escola, ajudámos na elaboração da Semana das Profissões, destinada a todas as turmas de 9º ano, com 4 diferentes painéis com 10 profissionais de áreas distintas.

Foram promovidas sessões dinamizadas pela APAV a todas as turmas de 5 ano durante 4 semanas num projeto piloto chamado “DOM vai à Escola” para sensibilizar e ajudar os alunos a reconhecerem e a prevenirem o Bullying, a violência no namoro e a conhecerem formas de se manterem seguros.

maio 2016
Audição da APEE na AM de Lisboa em que foi aprovada a resolução para “promover as diligências necessárias” para que o transporte dos alunos seja uma realidade

• Para além do descrito em cima, ao longo de todo o ano letivo reunimos com diversas entidades de forma a tentar superar alguns problemas da nossa escola.
• Dinamizámos página de facebook e site da APEE.
• Tentámos agilizar contactos e aumentar a transparência sobre o dia a dia da escola informando a comunidade sobre os acontecimentos mais relevantes.

Não conseguimos realizar tudo a que nos propusemos, mas foi um ano cheio de desafios e que provou que a existência de uma associação de pais é indispensável.
Agradecemos a todos os que nos apoiaram e esperamos continuar a merecer a confiança de pais em encarregados de educação para o ano que vem.

Comunicado de imprensa

No centro de Lisboa: Alunos obrigados a andar 1 km a pé para poderem ter aulas de Educação Física.

alunos chuva.jpg

A EB23 Luís de Camões é uma escola de 2º e 3º ciclo situada no centro de Lisboa, na freguesia do Areeiro e tem cerca de 550 alunos entre os 9 e os 15 anos.

Há cerca de 8 anos o ginásio que a escola dispunha para a prática desportiva foi demolido por se encontrar severamente degradado e representar um risco para a segurança de alunos e professores.

Os alunos passaram então a ter aulas de Educação Física e Desporto escolar no Pavilhão Municipal do Casal Vistoso, instalações alugadas pela escola à Câmara Municipal de Lisboa.

Alunos sujeitos a riscos

No entanto, a segurança e bem estar dos alunos não foram assegurados. Desde essa altura que as crianças são obrigadas a percorrer esse percurso, de cerca de 1 km, a pé, duas vezes por semana, atravessando artérias perigosas da cidade com trânsito intenso, muitas vezes sob condições naturais adversas, à chuva e ao sol, carregadas com mochilas que chegam a ser superiores a 30% do seu peso.

Pais não se conformam

Os pais e encarregados de educação não se conformam com esta realidade que já dura há 8 anos sem fim à vista e promoveram uma petição que apresentaram na Assembleia Municipal de Lisboa. A AML informou que a responsabilidade desta situação era do Ministério da Educação apesar de ter aprovado uma recomendação por unanimidade para que fosse diligenciado um autocarro para transportar os alunos no percurso escola/pavilhão.

Ministério não responde e a APEE considera que os alunos estão a ser discriminados

Apesar da Associação de Pais já ter pedido audiência ao ministro de forma a resolver esta situação o mais rapidamente possível, até ao momento não obteve qualquer resposta e considera que os alunos da EB23 Luís de Camões estão a ser discriminados e ignorados pela tutela.

Na mesma freguesia há outra escola com o mesmo grau de ensino que foi alvo de remodelação total pelo Parque Escolar, — A agrupamento de Escolas Filipa de Lencastre — que tem todas as condições materiais que é suposto um estabelecimento de ensino de uma capital europeia do séc. XXI ter.

Consideramos que os nossos alunos estão a ser alvo de discriminação, revelando uma aposta na educação a duas velocidades, uma sónica outra a pé. 

A Direção da APEE da EB23 Luís de Camões

 

Resposta da Direção da EB23 Luís de Camões à CML sobre transporte dos alunos e peso das mochilas

topo-resposta

É com tristeza que a APEE da EB23 Luís de Camões foi informada hoje pelo Município de Lisboa, que a uma recomendação de transporte para os nossos alunos, aprovada por unanimidade por todos os partidos com assento na AML, a Direção da nossa escola tenha respondido que “a escola tem cacifos e os alunos podem levar apenas o essencial”.
Como é sabido por todos os pais e Encarregados de Educação, os cacifos não são em número suficiente para todos os alunos e têm de ser partilhados, o que faz com que na maior parte das vezes não sejam usados, já que devido ao seu tamanho reduzido, não caibam dentro deles duas mochilas.
Além disso, a maior parte das vezes, os alunos do turno da manhã não regressam à escola depois da Educação Física para não fazerem mais 1km a pé, e os alunos do turno da tarde chegam directamente das suas casas de manhã, porque no nosso Agrupamento a Educação Física e o Desporto escolar funcionam em contra-horário.
Por isso, a questão dos cacifos é acessória já que não resolve o problema essencial: mesmo que fossem em número suficiente para todos os alunos, estes teriam de fazer o dobro da distancia a pé à chuva e ao sol …
Esperávamos que uma Direção defendesse os seus alunos e exigisse também condições de qualidade para todos.
Naturalmente que a APEE irá continuar a fazer todos os esforços junto das autoridades competentes para que o transporte dos nossos alunos seja uma realidade o mais rapidamente possível.
A Direção da APEE da EB23 Luís de Camões